seguro para carros financiados

Vale a pena fazer um seguro de carro financiado? Entenda!

Posted on Postado em Direitos do Consumidor, Financiamento de Veículos

Uma das formas de pagamento mais comum para compras de carro no Brasil é o financiamento. Mesmo assim, ainda são diversas as dúvidas sobre os procedimentos que envolvem a contratação de um seguro, especialmente quando é um seguro para carros financiados.

Bom, já é de conhecimento de todos que manter um seguro para o seu carro é imprescindível, seja por motivos de furtos e roubos ou por acidentes no trânsito. Mas, quando se trata de um carro financiado, bater o veículo pode ser um pesadelo ainda maior devido às parcelas ainda a serem pagas.

Já no caso do sinistro de um veículo financiado, as regras são um pouco diferentes.

Quando há uma perda total em um automóvel quitado, a seguradora efetua o pagamento do valor combinado, e você pode utilizá-lo como bem entender. Quanto a um veículo financiado, o pagamento é diferente, como explicaremos detalhadamente na sequência.

Muitas informações? Calma, que vamos explicar tudo de uma maneira bem fácil pra você! Continue lendo para entender se o seguro para carros financiados vale a pena, ou não, para você:

Conheça o seguro para carros financiados passo a passo

O seguro para automóveis tem a mesma função para carros quitados ou financiados, que é resguardar o bem de riscos como furto, roubo, colisão, incêndio, desastres naturais etc. Existe apenas um ponto que se difere entre os dois casos: no caso de carros financiados, entre o pagamento da indenização e o usuário existe a financiadora.

Pensando nisso, explicaremos passo a passo como essa diferença pode afetar cada etapa do seguro. Confira:

Passo 1: ao solicitar um seguro, informe que o veículo é financiado

A primeira informação fundamental no que diz respeito ao funcionamento de veículos financiados é que, na hora de solicitar a cotação de um seguro, é de extrema importância informar que o carro cotado é financiado.

Essa medida é imprescindível para garantir a cobertura mais adequada para o seu veículo e evitar possíveis contratempos.

Com isso em mente, na hora da contratação do seguro, lembre-se de verificar se no orçamento e na proposta o veículo está categorizado como financiado. A diferença final no preço é relativamente pequena, e garante a cobertura mais apropriada para o seu caso.

Passo 2: caso ocorra perda parcial, não há diferenças

Após a devida contratação do seguro, seu carro obterá cobertura para situação de perda parcial (quando o veículo sofre algum tipo de dano, mas ainda existe a possibilidade de reparo).

No caso de uma perda parcial, o seguro para carros financiados funciona da mesma maneira do seguro de carros já quitados. É função do segurado pagar a taxa da franquia, e a seguradora arcará com os custos referentes ao conserto do veículo — caso a franquia cubra o valor do conserto.

Passo 3: quando acontece perda total, a indenização é outra

Se, no caso de perda parcial, o seguro comporta-se exatamente da mesma forma para veículos financiados e quitados, no caso de perda total em um carro financiado a indenização do seguro ocorre de maneira diferente.

De uma maneira mais resumida, a diferença na hora da efetivação do pagamento da indenização é que será preciso acertar as contas com a sua financiadora.

Em muitos casos, isso funciona do seguinte modo: é verificado o quanto o segurado ainda deve para a financiadora, então, a seguradora quita o saldo devedor até o limite máximo da franquia contratada anteriormente. Caso ainda sobre dinheiro desse valor, a quantia é encaminhada para o segurado.

Busque sempre a ajuda do seu corretor

Bom, esse foi um passo a passo generalizado de como ocorre o seguro para carros financiados. No entanto, é de extrema importância buscar sempre a orientação de um corretor de seguros devidamente especializado.

A principal função desse profissional é suprir todas as dúvidas do cliente, além de encaminhar os procedimentos mais adequados para cada caso, garantindo que todos os direitos sejam assegurados de maneira cômoda e ágil.

Então, lembre-se de garantir uma assistência profissional desde a proposta até a utilização do seguro, buscando sempre a ajuda do seu corretor.

Conheça outras formas de pagamento de indenização

No miniguia que elaboramos, consta a forma de pagamento para a indenização de seguros de veículos financiados mais utilizada atualmente. Porém, ainda existem outras opções que talvez se apliquem melhor para sua situação. Vejamos:

Quite o saldo devedor e receba a indenização da seguradora

A indenização é efetuada de acordo com o modelo contratado — a mais comum no mercado brasileiro é a tabela FIPE. Nessa forma de pagamento, não existem muitas dificuldades, pois você quitará as parcelas que faltam para concluir o financiamento, para receber o valor que consta em sua franquia.

Substituição da garantia

Esse método é o menos utilizado, indicado para aqueles que não conseguirão quitar as suas dívidas com a financiadora ou para aqueles cujo valor da diferença entre o saldo devedor e a indenização é muito grande.

Sendo um acordo entre o segurado e a loja em que comprou o carro, que deve ser informado à seguradora, funciona dessa maneira: o segurado procura a loja e negocia a substituição da garantia.

A financeira só poderá finalizar o gravame (documento que consta o ônus financeiro) após a quitação do valor, ou com uma substituição de garantia.

A loja, então, aliena o carro no lugar do dono do veículo, que dá baixa. Assim, o segurado deve receber o valor do sinistro que consta em sua franquia e repassar à loja, para que ela possa liberar o carro e, então, alienar no lugar do anterior.

Por ser um método muito complicado e que traz riscos, muitas lojas não trabalham dessa maneira.

Confira algumas precauções para o seguro de carro financiado

Quanto ao segurado de veículos financiados, o cuidado mais importante a ser tomado refere-se ao valor do financiamento.

Um veículo financiado por um longo período, somado aos juros, pode representar um grande risco na hora de um sinistro. Isso porque, basicamente, o seguro auto tem o objetivo de ressarcir perdas com o bem.

Os juros do financiamento são parte de uma transação financeira que foi realizada entre você e a empresa responsável por lhe prestar crédito. Portanto, caso ocorra um sinistro, o valor recebido deverá condizer apenas ao valor do veículo de acordo com a tabela FIPE, deixando de lado a quantia gasta em juros.

De toda forma, é imprescindível avaliar bem a sua situação para saber se, no final, você não ficará no prejuízo.

Enfim, entendeu como funciona o seguro para carros financiados? Sabe avaliar se ele vale a pena para você? Para acabar com quaisquer dúvidas restantes sobre o assunto, aproveite para conferir também o nosso artigo sobre devolução de carros financiados.

Acesse nossas redes sociais: Facebook e Instagram