o que é Taxa Selic

Saiba o que é Taxa Selic e para que ela serve

Posted on Postado em Dicas e Dúvidas

A taxa Selic é uma velha conhecida para quem acompanha as notícias sobre economia. Entretanto, apesar de ser bem popular, muito pouco é divulgado sobre o que é taxa Selic, seu funcionamento e como ela influencia nas transações econômicas do país. E acredite essa taxa possui uma grande importância, inclusive para controlar o nível de inflação.

No post de hoje, juntamos uma série de informações para explicar o que é taxa Selic e como ela funciona. Confira!

Saiba o que é Taxa Selic

O que é taxa Selic? é a taxa básica de juros da nossa economia. Ela é uma referência para determinar outras tarifas e é usada no sistema interbancário para realizar operações diárias. Essas negociações são lastreadas, geralmente, em títulos do governo.

A sigla Selic significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia e diz respeito ao sistema digital administrado pelo Banco Central do Brasil. É por meio disso que são controlados a emissão, compra e venda de títulos públicos. Para chegar ao valor dessa taxa, são calculadas as médias ponderadas dos juros das instituições financeiras.

Como ela é definida?

Por ser extremamente importante para as operações financeiras, o órgão COPOM (Comitê de Política Monetária) é o responsável por apontar o seu valor. O Comitê foi criado em 1996 especialmente para essa função e também para determinar o quanto de dinheiro deve circular no país.

Para estipular a Selic, são feitas oito reuniões ao ano — elas duram sempre dois dias. No primeiro dia, são definidos vários aspectos que alteram a vida econômica brasileira, como o câmbio, a inflação etc.

Já no segundo, são discutidas as conjecturas futuras. Nesse dia, é importante que os membros do comitê entrem em consenso, contudo, mesmo se todos não estiverem de acordo, o resultado é divulgado.

Se já há uma decisão final, ela é rapidamente comunicada à imprensa, assim como as possíveis tendências para a próxima reunião. É importante destacar que a Selic varia todos os dias, mas são nesses encontros que ela se aproxima da meta definida pelo COPOM.

Como funciona a Selic?

Primeiramente, é preciso entender que existem 2 tipos de taxa Selic.

A primeira é conhecida como Taxa Selic Meta, aquela que é sempre apresentada nos noticiários e significa o valor básico. Normalmente, é a menor taxa de juros da economia.

A segunda é a Taxa Over, que acontece quando os bancos pegam o dinheiro emprestado de outros bancos.

Isso funciona mais ou menos assim: o governo federal precisa de dinheiro para quitar as suas dívidas e também para realizar investimentos em obras públicas como escolas, estradas, hospitais etc. Para isso, são cobrados impostos que representam o meio de arrecadação fundamental do estado.

Contudo, há outra forma de o governo conseguir dinheiro para lidar com as contas públicas: por meio da venda de títulos do Tesouro Nacional. A secretaria do tesouro gera títulos com o principal objetivo de arrecadar recursos para o país.

São os bancos os grandes compradores desses títulos e por regra, as instituições são obrigadas a colocar uma porcentagem dos seus depósitos no Banco Central. Assim é possível conter o excesso de capital que possa circular na economia e evita-se a inflação.

Como os bancos costumam realizar várias operações durante o dia, a porcentagem separada para o Banco Central pode sofrer variações. Entretanto, as instituições devem respeitar esse valor e, para chegarem a esse resultado, pegam empréstimos de outros bancos.

Os empréstimos são debitados em curto prazo, geralmente em um dia. Todavia, como garantia, as financeiras oferecem os títulos públicos obtidos no Banco Central. Para medir esse tipo de transação, a Taxa Selic Over é utilizada.

Onde a Selic é aplicada?

Como salientamos acima, a taxa Selic é muito útil para a economia brasileira, e não é só como critério de juros que ela serve. Ela também influência os principais investimentos do mercado. A seguir separamos alguns para você. Veja:

  • Títulos Públicos: a taxa Selic exerce uma grande influência em um dos títulos públicos mais conhecidos por quem opera no mercado: o LFT ou Tesouro Selic. Esse investimento recebe tanta interferência que se a taxa aumenta, a rentabilidade dele também cresce. Isso acontece porque ele acumula, justamente, a variação da Selic.
  • CDI: é a taxa usada como referência para os investimentos feitos pelas instituições financeiras. Principalmente no caso dos de Renda Fixa e alguns tipos de fundos.
    • O que ocorre é que, quase sempre, a Selic é igual ao valor da CDI, então muitos usam ela como medida para saber esse valor, já que é mais fácil acompanhar a tarifa.
    • Entenda que os fundos de investimento sempre procuram render, pelo menos, uma porcentagem da CDI. Esse fato é a base para muitos investidores descobrirem se a aplicação é rentável ou não.
  • Poupança: um dos rendimentos mais acessíveis, a caderneta de poupança depende muito da taxa Selic. Inclusive, há uma regra para a sua rentabilidade que está ligada à tarifa.

Se a taxa Selic for maior do que 8,5% ao ano, a poupança deverá render 6% anualmente mais a taxa referencial. Caso a tarifa for abaixo de 8,5%, a caderneta renderá 70% do valor da SELIC.

Como ela influencia no dia a dia?

A taxa Selic tem uma forte atuação quando se trata da inflação e do poder de compra do brasileiro. E o governo costuma usá-la para regular a economia. Por exemplo, se ela aumentar e, consequentemente, os juros de linhas de crédito vinculados a ela, é provável que o poder de compra diminua, o que frearia a economia por um tempo, mas evitaria uma inflação.

Além disso, os investimentos de renda fixa sofrem diretamente com sua alteração. O seu aumento pode estimular as pessoas a adiarem os planos de compra e passarem a investir, já que essas aplicações estarão mais rentáveis. O que novamente afeta a inflação, afinal há menos dinheiro circulando.

Então, agora que você entendeu o que é taxa Selic e como ela é importante para a vida econômica brasileira. Que tal saber um pouco mais sobre economia e melhorar a sua vida financeira? Siga-nos no Facebook e não perca mais nenhum post!