Placa Mercosul

Detran implanta Placa Mercosul

Posted on Postado em Dicas e Dúvidas

Em 11 de setembro de 2018 passou a valer em território nacional a placa Mercosul. O primeiro estado brasileiro a fazer a implantação do novo modelo de placa de veículos foi o Rio de Janeiro.

A ideia, segundo o Denatran e o Ministério das Cidades, é fazer a padronização e consequente identificação de todos os veículos registrados nos países membros do Mercado Comum do Sul, o Mercosul, além de gerar maior segurança.

O Brasil está sendo o terceiro país membro a implantar a placa Mercosul. O primeiro a implantar foi o Uruguai, no ano de 2015. Na sequência, já em 2016, a Argentina passou a utilizar o novo modelo, todos com vistas a padronização.

Segundo especialistas essa padronização irá trazer maior segurança e a possibilidade de fazer uma fiscalização eficiente, visto que as falsificações, como por exemplo a tão comum clonagem de placas, serão minimizadas.

O estado do Rio deu o pontapé inicial nessa empreitada que deverá continuar pelos próximos anos. A ideia é que todos os estados comecem o processo de implantação da placa Mercosul até 31 de janeiro de 2020.

Os documentos que estabelecem o novo padrão bem como as regras a serem aplicadas, são as resoluções 729 e 733, ambas de 2018, publicadas pelo Conselho Nacional de Trânsito, o Contran.

Leia na íntegra as resoluções:

https://www.denatran.gov.br/images/Resolucoes/Resolucao7292018.pdf

https://www.denatran.gov.br/images/Resolucoes/Resolucao7332018.pdf

Por outro lado, o Serviço Federal de Processamento de Dados, o Serpro, se responsabilizou fabricação e distribuição dessas placas, bem como pelas autorizações, vinculações e integrações das mesmas.

O novo padrão da placa Mercosul contém inovações tecnológicas, como a principal delas, o QR Code. Neste dispositivo ficarão armazenadas informações de fabricação e de série, além de possibilitar uma maior integração.

Os especialistas são unânimes em afirmar que essa integração facilitará os processos de emplacamento, e até mesmo de transferência, o que será bem cômodo para motoristas.

Fiscalização e segurança

O Detran implanta placa Mercosul sempre pensando no controle maior que esta ação irá trazer em diversos procedimentos, desde aquele produtivo até a fiscalização e o combate da fraude, que comumente se ver com as clonagens de placas.

Para tornar essa ideia eficaz, a placa Mercosul contém alguns itens de segurança como o QR Code, a marca d’água, as ondas sinusoidais e pintura com difração.

Dessa forma, será possível implantar uma fiscalização mais eficiente desde o momento da produção a utilização pelo consumidor final.

Por fim, o que teremos será um maior controle no intuito de identificar possíveis irregularidades e combater a fraude, minimizando e até mesmo excluindo os casos de clonagem de placas e outros problemas semelhantes.

Todos os carros deverão ter a placa Mercosul?

A princípio somente alguns grupos de veículos deverão ter a placa Mercosul. Esses grupos envolvem:

  1. Veículos que estejam passando pelo primeiro emplacamento, ou seja, os veículos novos, 0 Km;
  2. Veículos que estejam passando por processo de transferência de proprietário ou de município;
  3. Veículos que necessitem trocar de placa por outros motivos;
  4. Veículos que sofreram troca de categoria.

Cabe destacar que os proprietários de veículos que não se inserem em nenhum desses quatro grupos poderão optar por livre vontade substituir a placa antiga pelo modelo Mercosul.

Como é o novo modelo de placa Mercosul?

O primeiro item de segurança a ser destacado é o QR Code. Além dele, existe a marca d’água, ambos impossibilitam a clonagem da placa, evitando assim as falsificações. Certamente, esses itens serão importantes nas fiscalizações realizadas pela polícia.

Sem dúvida, esses dois itens são grandes diferenciais entre a placa Mercosul e a antiga. Mas, além disso, você já notará a diferença no próprio layout da placa.

A placa Mercosul tem um fundo branco e possui uma faixa na cor azul na parte superior. Você também verá quatro letras e na sequência com 3 números.

Na parte superior, você visualizará o logotipo do Mercosul, isso no lado esquerdo, e logo na parte de baixo, estará o QR Code.

Também estará presente na placa as letras BR, e bem ao lado direito, haverá estampada a bandeira do país respectivo, e imediatamente abaixo ficará a bandeira do Estado ou do Departamento e o brasão da cidade. Esse brasão irá substituir o nome da cidade, o que é comum nas placas antigas.

No caso de veículos de categorias diferentes, a distinção será feita pela cor dos caracteres alfanuméricos, da seguinte forma:

– Veículo particular, na cor preta;

– veículo oficial, na cor azul;

– veículo de aprendizagem ou comercial, na cor vermelha;

– veículo diplomático, na cor amarela;

– veículo especial, na cor verde;

– veículo de colecionador, na cor prata.

Em relação ao tamanho da placa Mercosul, este deverá ser o mesmo da placa antiga, ou seja, 13 cm de altura x 40 centímetros de largura.

Veja abaixo um resumo de tudo o que muda com a placa Mercosul

1. As categorias de veículos serão identificadas por cores diferentes?

Exatamente, mas a única diferença é que todas as placas independente da categoria terão o fundo branco, e apenas o que mudará será a cor dos caracteres alfanuméricos. Dessa forma, teremos as cores preta, azul, vermelho, amarelo, verde e prata.

2. E os caracteres alfanuméricos mudarão?

Sim, com o novo padrão Mercosul nós teremos placas com 4 letras seguidas de três números. Esses caracteres serão distintos e identificados pela cor de categoria do veículo.

3. A cidade e o estado serão referenciados na placa Mercosul?

Sim, eles serão, mas de uma forma diferente das placas antigas. No lado superior direito e sobre a tarja azul, ficará estampada a bandeira do Brasil. Logo abaixo terá a bandeira do Estado ou do Departamento e o brasão do município.

4. A placa terá tamanho diferente?

Não, ela permanecerá nas mesmas dimensões da antiga, ou seja, com 13 cm de largura x 40 cm de comprimento.

5. A placa Mercosul terá novos dispositivos de segurança?

Sim, e eles serão: o QR Code, marca d’água, eventos de segurança e ondas sinusoidais. Com todo esse aparato você terá uma identidade única para cada placa, as cores serão alteradas de acordo com o ângulo havendo efeitos visuais, e informações gravadas com laser que permitem uma identificação mais fácil.

6. Quem está na lista para trocar a placa?

De ante mão é bom que você fique sabendo que nesse primeiro momento nem todos os veículos estão obrigados a fazer a substituição da placa. As autoridades definiram apenas quatro grupos de veículos que devem se submeter a este procedimento.

Esses grupos são os carros 0 km que estão passando pelo seu primeiro licenciamento e emplacamento, aqueles outros que estão em processos de transferência seja de proprietário, de município ou jurisdicional.

Ainda entra nesta listagem aqueles veículos que tiveram a placa danificada e precisam substituí-la, bem como os veículos que sofreram troca em sua categoria.

Com exceção desses, a substituição é voluntária, porém, deve-se destacar que o Departamento Nacional de Trânsito previu que o novo modelo deverá estar implantado em todos os estados até  31 de janeiro de 2020.

E aí, conte pra gente se você já sabia dessa novidade no mercado automobilístico brasileiro? Já pensou que isto poderá te trazer uma despesa a mais para adquirir a nova placa Mercosul?

Aproveite, e conte para nós o que você acha dessa nova decisão, se ela pode ser benéfica ou não, se vai trazer redução ou mesmo extinção dos problemas de clonagem de placas e de outros semelhantes.

E se você quiser aprender mais coisas, veja nossas matérias no blog. Por aqui você irá encontrar muita informação útil e que vale muito a pena ler e compartilhar!  Acesse http://www.maiscredit.com.br/blog/

Ah, e não se esqueça, compartilhe este post com seus amigos e familiares agora mesmo, pois eles também precisam saber desta notícia!

Nossa página no Facebook pode ser acessada aqui: https://www.facebook.com/MaisCredit/