como declarar um veículo financiado

Saiba como declarar um veículo financiado em 2017 no IRPF de 2018

Posted on Postado em Dicas e Dúvidas

Você sabe como declarar um veículo financiado em 2017 no IRPF de 2018?

Para conquistar aquele antigo sonho de comprar um carro novo, muitos brasileiros recorrem aos financiamentos. Nesse sentido, a preocupação com as prestações passa a ser incorporada à rotina financeira do comprador — no entanto, os cuidados não se resumem à quitação das parcelas do financiamento, é preciso um cuidado também com a declaração do veículo financiado no Imposto de Renda.

O primeiro detalhe de que o contribuinte deve ter ciência é que a declaração abarcará as parcelas já pagas e não o valor total do veículo. Além disso, por finalidades de organização financeira, o que falta da dívida deve ser registrado para que haja um controle maior.

Em síntese, o financiamento de veículos é tratado na Declaração do Imposto de Renda da mesma forma que os imóveis. Para facilitar o seu controle, na sequência, explicaremos, com mais detalhes, como declarar um veículo financiado em 2017 no IRPF de 2018. Está preparado? Então continue com a gente!

Como declarar um veículo financiado em 2017 no IRPF de 2018?

O primeiro ponto que o contribuinte deve saber ao declarar seu veículo financiado é que o código para esse tipo de operação é o 21, que refere-se aos veículos automotores — o código deverá ser selecionado na ficha denominada “Bens e direitos”.

Além disso, para declarar o veículo financiado é preciso atentar também ao preenchimento de alguns dados, como forma de aquisição, datas e demais informações requisitadas pelo formulário do imposto de renda. Alguns exemplos são: marca, modelo, ano de fabricação, registro e placa.

O veículo adquirido em 2017, por exemplo, deverá ser declarado constando um informe por meio do campo “Situação em 31 de dezembro de 2017”. Os valores declarados devem seguir o carnê de financiamento e a documentação completa do carro.

Devo declarar mesmo quando minha renda não exige declaração do IR?

Caso você não seja obrigado a declarar renda, ou seja, se os seus rendimentos anuais não ultrapassam R$ 28.559,70 e você não se encaixa em nenhuma outra possibilidade de obrigatoriedade, a compra do veículo no seu nome também não tornará obrigatória a sua declaração.

Comprei um carro em 2017 e dei outro como entrada, como procedo?

Se você adquiriu um veículo no ano de 2017 dando outro como entrada somado a outra parcela em dinheiro, você deverá, na ficha de “Bens e direitos”, baixar o veículo dado como entrada, esclarecendo a operação, a data e o valor atribuído, além do nome, do CNPJ do comprador e das condições de pagamento.

E quando compro o veículo em nome de outra pessoa?

Se você adquiriu seu veículo à vista, mas em nome de outra pessoa, será obrigação dessa outra pessoa declarar a compra em sua própria declaração de IR. No que refere-se à sua declaração, você deverá informar o valor “emprestado” a essa outra pessoa para a aquisição do veículo no nome dela. Será necessário, nesse caso, informar a forma de pagamento ou transferência do dinheiro, o nome e o CPF da outra pessoa.

Como garantir a dedução prevista para veículos de transporte?

São estimados tributáveis 40% do rendimento do trabalho individual no transporte de cargas. Insira os valores nas fichas “Rendimentos tributáveis recebidos de pessoa jurídica” ou “Rendimentos tributáveis recebidos de pessoa física/exterior” de acordo com o seu caso. Na ficha “Rendimentos isentos”, insira o valor da diferença que não foi tributada.

O que fazer em casos de roubo no ano anterior?

Se, no ano anterior, você recebeu algum rendimento advindo de uma seguradora devido a roubo ou furto de veículo e esse valor foi muito inferior ao que pagou no ato da compra, você deverá seguir os seguintes passos:

  • abra a aba “Bens e direitos”;
  • insira os detalhes do ocorrido e os valores recebidos no campo “Discriminação”;
  • não preencha a parte“ Situação em 31/12/2017”;
  • informe o valor recebido pela seguradora na ficha “Rendimentos isentos e não tributáveis”.

Como declarar venda, compra e financiamento?

Caso sua intenção seja na ficha “Bens e direitos”, realize a baixa do veículo e informe todas as informações pertinentes, como data, nome e CNPJ da concessionária e o valor já despendido como entrada.

O campo “Situação em 31/12/2017” deve ser deixado em branco. Caso o seu caso seja o de compra, declare a aquisição do veículo novo e quais foram as condições de pagamento negociadas, detalhando os trâmites da transação.

Devo colocar o valor pago na compra ou o valor de tabela Fipe?

A declaração de compra de um veículo deve levar em consideração somente o quanto foi já pago no ano anterior. Portanto, o que você deverá declarar são as parcelas já abatidas do seu financiamento de veículo.

O campo “Situação em 31/12/2017” deve ser deixado em branco. Caso o seu caso seja o de compra, declare a aquisição do veículo novo e quais foram as condições de pagamento negociadas, detalhando os trâmites da transação.

Como declarar um carro que foi roubado?

Caso você tenha adquirido um carro que tenha sido roubado, você deverá manter os dados referentes ao valor do carro na coluna do ano de 2017, colocar zero no ano de 2018 e dar a baixa do veículo na coluna de “Bens e direitos”.

Caso você tenha recebido indenização pelo roubo, o valor que excede o montante indenizado deverá ser declarado na parte denominada “Rendimentos isentos e não tributáveis” na linha de número 2.

Caso o veículo tenha sido comprado no ano anterior e roubado no mesmo ano, não será preciso informar.

Devo declarar a depreciação anual de um carro?

O Imposto de Renda de Pessoas Físicas não prevê a depreciação de automóveis no seu regulamento. A depreciação só é considerada em declarações de bens de pessoas jurídicas.

Como declarar transferências familiares?

Se um pai, por exemplo, compra um automóvel para o filho em seu próprio nome e deseja transferir a propriedade, ele deverá preencher o campo de “Doações efetuadas” mencionando a transferência para o filho.

Já na declaração de IRPF do filho que recebe o carro, será preciso preencher a ficha “Rendimentos isentos e não tributáveis”, na linha 10 — que refere-se a “Transferências patrimoniais e doações e heranças” — alegando o valor recebido.

Além disso, na ficha denominada “Bens e direitos”, de código 21, inclua as informações do automóvel no campo “Discriminação”.

E, então, suas dúvidas sobre como declarar um veículo financiado no IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física) foram esclarecidas? Para ficar por dentro de artigos como este, assine nossa newsletter!

Acesse nossas redes sociais: Facebook e Instagram