Cobrança Judicial e Extrajudicial

Cobrança Judicial e Extrajudicial: Qual a Diferente Entre Elas?

Posted on Postado em Dicas e Dúvidas

Aqui está mais um de nossos excelentes artigos informativos! Você vai aprender agora qual a diferença entre cobrança judicial e extrajudicial. Espero que você goste e que participe ao final do artigo!

Tenho certeza que você já conhece os termos judicial e extrajudicial, não é verdade? Quando alguém consegue fazer a diferenciação entre uma cobrança feita pela via judicial e pela extrajudicial, certamente poderá escolher a melhor.

Se é uma empresa que tem problemas com inadimplência, então poderá verificar qual das duas se aplica primeiro, e então cobrar o inadimplente.

Se for um consumidor, poderá tomar as devidas atitudes para evitar que uma ou outra cobrança aconteça.

 

Cobrança Judicial x Cobrança Extrajudicial

 

Você já sabe que existem esses dois tipos de cobranças para fazer o reclamo de alguma dívida, independente de sua natureza. A partir de agora, é importante saber a respeito da aplicação de cada uma dessas modalidades.

Continue me acompanhando ao longo desta postagem para descobrir o significado e aplicação de cada um dos dois tipos de cobranças.

Tenham plena certeza que ao final deste artigo você terá condições de escolher o melhor tipo de cobrança, ou se livrar de qualquer uma delas.

 

Então, o Que é Uma Cobrança Judicial?

 

Uma empresa, como por exemplo, a instituição financeira que você fechou o financiamento de veículo, poderá optar por fazer uma cobrança pela via judicial. Esse método é um tanto oneroso e também demorado.

Ele é válido e bastante utilizado por que é viável para conseguir que um consumidor faça o pagamento de uma dívida.

Vale saber que ao optar pela cobrança judicial será preciso contratar um advogado especializado na cobrança de dívidas judiciais.

 

Quando isso acontece, então o consumidor irá receber as cobranças diretamente pelas vias judiciais, ou seja, não será a própria empresa credora e nem mesmo uma terceirizada que entrará em contato com o devedor.

A verdade é que o poder judiciário é quem enviará as notificações ao devedor, e nisto mostrará quais são as etapas do processo judicial.

Vale lembrar que os valores devedores pode influenciar em levar ou não o seu nome para os órgãos de proteção ao crédito, como por exemplo o SPC e o Serasa.

Por exemplo, em dívidas médias seu nome poderá constar no cadastro de inadimplentes nacional. Em dívidas maiores, seus bens poderão ser confiscados.

Também é válido destacar nesse antigo que a cobrança judicial é melhor ser aplicada apenas quando a empresa já tentou a via extrajudicial e não obteve sucesso.

Nunca é demais lembrar que uma cobrança judicial é muito onerosa e demorada. Além disso, envolvem muitas pessoas, cria-se muitos documentos, sendo do portanto, um meio que você deve fazer o máximo para evitar.

 

E Quanto a Cobrança Extrajudicial, o Que Ela Significa?

 

Por outro lado, a cobrança extrajudicial é aquela em que a empresa credora tenta fazer uma negociação amigável com o devedor.

Na maioria dos casos, a própria empresa que deseja receber os valores devedores, entra em contato com o consumidor que está devendo.

Em outras situações é possível que a empresa credora contrate uma assessoria de cobrança especializada extrajudicial. Nesse caso, essa empresa terceirizada é quem fará as cobranças diretamente com o consumidor.

Os contatos poderão ser feitos através de telefonemas, e-mails, cartas e outros semelhantes. Primeiramente, o conteúdo desses documentos é para lembrar o consumidor que existem parcelas abertas junto à empresa.

Geralmente, esse tipo de cobrança é utilizado no primeiro momento em que o consumidor começa atrasar as prestações. E busca-se resolver a situação de uma forma simplificada e rápida.

Será observado ao longo da cobrança extrajudicial o comportamento do devedor. Caso ele não venha responder as cobranças, então a empresa poderá partir para um segundo nível: O de informar que procurará as vias judiciais.

Em muitos casos, na verdade, em quase todos os casos, a cobrança extrajudicial é eficaz porque o consumidor tem medo de ser levado para as vias judiciais.

Em um processo de negociação amigável o cliente também poderá tirar proveito, pois a empresa credora facilita o meio de pagamento das parcelas atrasadas, tirando os juros e até mesmo dando descontos.

A ideia é realmente receber os atrasados por parte do consumidor. Em um primeiro momento, a empresa não pensa em abrir uma ação judicial, pois vale lembrar que esse tipo de ação é demorada e oneroso.

 

Entendendo a Diferença Na Prática!

 

Na sequência, vou exemplificar duas situações e após sua análise, tente descobrir qual delas é uma cobrança judicial e qual é a cobrança extrajudicial. Isso irá garantir que você aprendeu com exatidão o que falei até este momento.

 

Primeira Situação

 

Augusto, um empresário dono de uma cafeteria, a Café e Cia, localizada em uma das ruas do centro de Teresina, no Piauí, fechou um contrato com determinado banco para adquirir um veículo financiado.

A ideia era utilizar este veículo para ajudá-lo nas entregas de cafés e lanches em empresas e repartições públicas.

Com a cabeça focada em aumentar seus negócios e prestar um serviço cada vez melhor, a pressa fez com que Augusto fechasse um contrato sem sequer ler as cláusulas do documento.

Dois anos depois, Augusto teve dificuldade de manter em dias as prestações e atrasou os pagamentos. O banco então começou a agir no sentido de cobrar os atrasados.

Certo dia, recebeu em sua cafeteria uma intimação para uma audiência de conciliação em um tribunal da cidade de Teresina.

Chegando ao tribunal, Augusto percebeu que havia uma petição inicial em que o banco requeria o pagamento da dívida. Também tinha no local um advogado defendendo a instituição financeira, e um juiz para ouvir as partes envolvidas.

Nesta situação, o que você acha: Estava diante de uma cobrança extrajudicial ou judicial?

 

Segunda Situação

 

Antônio José era um dos funcionários do Supermercado Gente Feliz, em Santos, São Paulo. Após uma demissão, Antônio se viu apertado e não conseguiu mais pagar as parcelas do financiamento da moto que adquiriu.

Depois de três parcelas atrasadas, o banco no qual foi fechado o contrato de financiamento, enviou um e-mail para Antônio. No corpo da mensagem dizia que estavam abertas três parcelas e que ele procurasse a instituição para conversar.

Como Antônio não tinha dinheiro, então não deu atenção para esta mensagem. Alguns dias depois, recebeu um telefonema: Era o banco perguntando se ele havia lido o e-mail e informando que existiam prestações atrasadas.

Foi dado uma resposta qualquer simplesmente para se livrar da moça que estava ali no telefone fazendo uma cobrança.

Nesta situação, o que você acha? Antônio está de frente de uma cobrança judicial ou de uma cobrança amigável, ou seja, de uma cobrança extrajudicial?

 

Entendendo a Diferença Entre Cobrança Judicial e Extrajudicial

 

É bem verdade que a primeira grande diferença entre uma cobrança judicial e extrajudicial é o fato de se envolver ou não com as questões legais, ou seja, de utilizar a lei e o pensamento de um juiz.

Porém, a diferenciação entre essas ações vai mais adiante. Além disso, você deve saber que cobrar judicialmente irá requerer um tempo maior quando se compara com as cobranças extrajudiciais.

Quando se pede para o judiciário, é preciso passar por todas as etapas de um processo judicial. Somente após isso é que irão tratar sobre a revisão da dívida e a forma como será o pagamento.

Também devo destacar como uma das principais diferenças entre os dois tipos de cobranças, é simplesmente o fato de utilizar métodos diferenciados.

Lembre-se que nas vias extrajudiciais a própria empresa credora, ou uma assessoria de cobrança terceirizada, entra em contato com o consumidor devedor. Nesse caso, utiliza-se meios como telefonemas, e-mail e cartas.

Por outro lado, nas cobranças judiciais o mecanismo utilizado é o legal. Para tanto, é necessário contratar um profissional especializado, ou seja, um advogado.

Você verificou até aqui a importância de entender qual é a diferença entre cobrança judicial e extrajudicial, até mesmo pelo fato de poder aplicar aquele tipo mais adequado para a situação.

 

Se você for um consumidor, então poderá tomar atitudes que possam te livrar de qualquer um desses tipos de cobrança.

 

Você percebeu também que uma cobrança extrajudicial deve sempre antecipar uma cobrança judicial. Ou seja, nunca procure primeiramente as vias judiciais, mas antes veja como resolver o conflito de forma administrativa.

 

Títulos Para Cobrança Judicial e Extrajudicial

 

Obviamente que quando nos referimos a cobrança judicial e extrajudicial, a gente tem que falar dos títulos, que são justamente as origens pelas quais um determinado consumidor está sendo cobrado.

 

Para entender melhor sobre isso, é bom você dar uma leitura na parte específica do Código de Processo Civil nacional. Não precisa ler o código inteiro, basta só você verificar os artigos 515 e 784, do novo código.

Porém, para facilitar as coisas te dando uma mãozinha, vou fazer uma listagem de títulos judiciais e extrajudiciais que podem ser cobrados pelas suas respectivas vias.

 

Artigo 515 do Código Civil

 

Segundo o artigo 515 do novo Código de Processo Civil, os títulos executivos judiciais só podem ser cobrados em juízo.

Destaco que títulos dessa natureza são criados ao longo do trâmite de um processo judicial. A sua execução é considerada como forçada utilizando a força da lei.

Isto quer dizer que dispensa-se assim o ajuizamento de uma ação própria de execução. A coisa é como eu já disse: Forçada.

 

Artigo 784 do Código Civil

 

No artigo 784 do novo Código de Processo Civil existe em uma relação de títulos executivos extrajudiciais. É uma ampla lista, mas vou colocá-la na sequência para você conhecer esses títulos.

 

  • Letra de câmbio;
  • Nota promissória;
  • Duplicata;
  • Contrato particular assinado por duas testemunhas;
  • Contrato com garantia;
  • Instrumento de transação arrendado pelo Ministério Público, Defensoria Pública, Advocacia Pública, advogados das partes e/ou mediadores;
  • Contrato de seguro de vida em caso de morte;
  • Crédito decorrente de despesas de condomínio edilício;
  • Crédito decorrente de foro ou laudêmio;
  • Crédito decorrente de aluguel;
  • Certidão de dívida ativa da Fazenda Pública;
  • Certidão expedida por cartórios, para débitos decorrentes de emolumentos;

 

Vale destacar algo bastante importante: Você viu que não há necessidade de ajuizar uma ação própria de execução para títulos executivos judiciais.

Porém, nos casos em que você solicite a cobrança judicial de alguns dos títulos extrajudiciais listados acima, então será necessário ajuizar uma ação para execução.

 

Resolva os Problemas De Cobranças Administrativamente

 

Se você está passando por situações de cobranças extrajudiciais ou judiciais, então provavelmente está sendo inadimplente com alguma empresa.

Em alguns casos a inadimplência é criada por desonestidade do consumidor. Porém, por outro lado, quem pode estar agindo de forma desonesta é a empresa.

Um caso muito frequente aqui no Brasil é quando um consumidor assina um contrato de financiamento de veículo com determinada instituição financeira.

Em situações como esta, cerca de 90% dessas instituições são desonestas com a parte hipossuficiente, que é o consumidor.

Isso porque elas vão embutir em alguma das cláusulas do contrato a cobrança ilegal de juros abusivos, e até mesmo de taxas administrativas que não deveriam existir.

Diante de uma desonestidade por parte da instituição financeira é muito provável que o consumidor venha entrar em inadimplência, isso porque as parcelas ficarão muito altas para serem pagas todos os meses.

Em situações como esta você poderá recorrer a empresas consultoras, como por exemplo, a Mais Credit Consultoria, que te ajudará em uma análise de contrato e retirada de juros e taxas abusivas.

 

Como Mais Credit Age?

 

Você sabia que uma cobrança extrajudicial ou judicial feita por um banco para cobrar você as parcelas atrasadas do financiamento do veículo pode se desdobrar em situações mais complicadas?

É isso mesmo: O banco poderá partir para níveis mais elevados caso você não dê a atenção devida a qualquer um desses tipos de cobrança.

Por exemplo, a instituição financeira poderá solicitar ao juiz que decrete a busca e apreensão do veículo. E caso você esconda o bem, então o banco poderá solicitar a conversão dessa ação em uma ação de depósito.

Então, para evitar maiores problemas advindosdos dessas cobranças, é aconselhável que você busque empresas especializadas em casos como esses para te auxiliar.

A Mais Credit Consultoria é a empresa mais adequada e aconselhada para você buscar ajuda. Isso porque já possui um portfólio amplo e rico em análises contratuais, cobranças extrajudiciais e recuperação de veículos.

Diante do caso, a Mais Credit Consultoria inicia um processo extrajudicial de forma gratuita analisando o seu contrato de financiamento.

Não importa se você já está sofrendo a cobrança extrajudicial ou judicial. Independente disso, a análise será feita e chegará à conclusão de qual valor você é devedor.

Em muitos casos a cobrança está sendo feita sobre valores que você não deve. É isso mesmo: Juros abusivos e taxas ilegais em suas parcelas de financiamento não precisam não ser pagas.

Porém, para que você deixe de pagá-las precisará abrir um processo extrajudicial com a Mais Credit Consultoria. Mas, não se preocupe porque não é nada difícil e nem que irá tomar muito do seu dinheiro e do seu tempo.

Como fazer Análise Contratual Para Se Livrar Da Cobrança?

É muito simples: Tudo que você precisa fazer é entrar em contato com um dos consultores da Mais Credit Consultoria. Isso você faz gratuitamente pelo telefone 0800 580 0910.

A ideia é você explicar a sua situação e falar que está sendo cobrado pelo banco altas parcelas. Na sequência, deverá enviar o seu contrato para que os consultores façam uma análise minuciosa.

Caso não queira utilizar o nosso 0800, então poderá solicitar gratuitamente a sua análise contratual pelo WhatsApp. Para isso, também é muito simples: Basta que você envie mensagem para 11 96882-7012.

Na sequência, nossos consultores irão fazer uma análise minuciosa de cada cláusula de seu contrato. Ao encontrar as cobranças abusivas de juros e taxas, iremos criar um documento para ser encaminhado ao banco.

Nesse documento irá constar os valores já pagos e os valores que você ainda deve, mas sem os juros e taxas abusivas.

A ideia é requerer que o banco retire essas ilegalidades de seu contrato, e ofereça uma forma de pagamento positiva, ou seja, aquela que permita você quitar seu contrato com desconto.

 

O Que Acontece Com As Cobranças Após Entrar Em Contato Com a Mais Credit?

 

Quando você entra em contato com a Mais Credit, pode ser que as cobranças ainda continuem. Porém, após análise de seu contrato e o contato diretamente com o banco, isto poderá mudar.

Acontece que existe a possibilidade de solicitar análise por parte do banco ao mesmo tempo em que suspende as cobranças.

Certamente que o banco irá nos atender, suspendendo assim as cobranças extrajudiciais. Caso esteja em andamento uma cobrança judicial, ao fechar uma cordo com você, o banco também fechará a ação judicial no tribunal.

Seu contrato deverá ser quitado com desconto, e você viverá uma sua vida normalmente para poder adquirir novos financiamentos de veículos.

 

Resumindo

 

A diferença entre uma cobrança judicial e extrajudicial começa a ser entendida simplesmente pelo fato de utilizar os meios legais ou não. Além disso, os métodos utilizados para cobrança também são diferenciados.

Observe que judicialmente são envolvidos advogados e juízes, e extrajudicialmente você poderá resolver um conflito diretamente com a empresa.

Você viu também que existem diferenças de títulos de execução extrajudicial e de execução judicial. O código de processo civil nacional lista para você esses títulos em dois artigos, o 515 e o 784.

Em alguns casos, é preciso a presença de um consultor. Em situações como esta a Mais Credit te oferece consultores capacitados e especializados para cada caso.

Ao optar pela ajuda da Mais Credit você poderá se ver livre dessas cobranças e até mesmo de situações constrangedoras, como por exemplo, a apreensão do seu veículo.

Não deixe que a situação piore, não permita que essas cobranças extrajudicial ou judicial venham tirar a sua paz e o seu sossego, como também tirar todo o dinheiro do seu bolso.

Então, você tirou suas dúvidas com esse artigo? Deseja fazer alguma pergunta? Então por favor, utilize os espaços para comentários.

Você também poderá entrar em contato diretamente com nossos consultores e saber mais sobre cobrança extrajudicial. Ligue agora mesmo gratuitamente para 0800 580 0910.