10 dicas para economizar em 2018

10 dicas para economizar em 2018 e antecipar parcelas de financiamento

Posted on Postado em Dicas e Dúvidas

Ano novo, vida nova, não é? Nem sempre. Na vida financeira, se você não tomar as decisões corretas, os erros do passado vão continuar dificultando as coisas. Portanto, a palavra de ordem é: poupar. Pensando nisso, este artigo traz 10 dicas para economizar em 2018, muito eficazes para manter a sua conta no azul pelos próximos 12 meses.

De quebra, ainda dá para você antecipar as parcelas de financiamento do seu carro, por exemplo. Com isso, o seu veículo sai da lista de débitos e passa a ser um bem quitado. O que o torna um poderoso instrumento para negociações futuras, como, servir de entrada para um automóvel novíssimo ou para garantir a conquista de outros sonhos. 2018 promete!

Como funciona o adiantamento de um financiamento?

Quando você financiou o seu carro, se comprometeu a pagar por ele mensalmente durante um determinado tempo, geralmente em alguns anos. Entretanto, não há empecilho algum se você decidir pagar antes do previsto.

Porém, você precisa saber que a antecipação das parcelas do seu financiamento ocorre de trás para frente. Ou seja, você vai eliminando as últimas parcelas ao invés de pagar a subsequente, entende?

Na prática, é assim: se você acabou de pagar a prestação do mês de fevereiro e tem dinheiro para pagar mais quatro. Logo, o valor é debitado das últimas parcelas e não dos meses de março, abril, maio e junho.

Então, se a sua ideia é acelerar para se livrar das dívidas dos próximos meses, precisa compreender que não é assim que funciona. Você apenas estará contribuindo para ficar menos endividado a longo prazo e não pelos próximos 120 dias.

Vale a pena adiantar as parcelas do carro?

Mas como saber se o dinheiro para adiantar as parcelas não seria mais útil para outro fim? Afinal, ter dinheiro sobrando abre as portas para muitas oportunidades e realizações. E essa é uma resposta que precisa ser analisada sobre a perspectiva contratual. Tudo vai depender de quais foram as cláusulas assinadas por você junto ao banco financiador. Veja.

Analise os juros do financiamento

O artigo 52, no parágrafo 2º, do Código de Defesa do Consumidor diz claramente: “é assegurado ao consumidor a liquidação antecipada do débito, total ou parcialmente, mediante redução proporcional dos juros e demais acréscimos”.

Isso significa que os juros cobrados no financiamento do seu veículo devem ser abatidos, se você resolve pagar adiantado. A lógica do banco é calcular até a última parcela e já embutir nela o valor dos juros. Portanto, nada mais justo do que esse acréscimo ser totalmente retirado, já que o financiador não vai ter que esperar anos para recebê-la. E isso vale tanto para pagamento total quanto parcial. Então, mesmo que você só vá avançar uma parcela, esse abatimento tem que constar.

Nesses casos, adiantar o financiamento do veículo só vale a pena se a taxa de juros for maior que o rendimento da poupança. Na grande maioria dos casos é, haja vista que o rendimento da poupança é ínfimo.

Porém, o que fazer se o seu financiamento foi sem juros? Não é incomum na compra de carros novos ou divididos em quantidades menores, não ser cobrado acréscimo nenhum. Nesses casos, você deve colocar na balança se vale a pena adiantar as parcelas ou colocar o dinheiro da poupança, já que ela possui rendimento mensal, mesmo que pequeno.

Conheça o seu perfil de consumidor

Você realmente consegue guardar dinheiro? Essa é uma questão que influencia na tomada de decisão de adiantar ou não o financiamento do automóvel. A implicação está em você se conhecer o suficiente para garantir que aquele dinheiro extra vai ser direcionado para os planos iniciais.

Se o seu perfil for de recorrer ao dinheiro da poupança para compras por impulso, é melhor você liquidar as parcelas do financiamento, ao menos não corre o risco de consumir demais e zerar as suas economias.

Já se você é o tipo de pessoa que até esquece do dinheiro poupado, é uma boa iniciativa colocar esse dinheiro no banco ao invés de avançar no financiamento, desde de que o veículo tenha saído a juros zero.

E não só você tem que se monitorar, como toda a família. Não dá para deixar o seu cartão do banco nas mãos de pessoas sem esse compromisso. A consciência tem que ser coletiva e contar com a colaboração dos mais próximos.

Pesquise outros investimentos

Você já sabe que adiantar as parcelas do seu financiamento de carro pode ser uma boa ação, se os seus juros forem maiores que o rendimento da poupança. Caso contrário, vale a pena considerar deixar a quantia na poupança, desde que você saiba guardar dinheiro.

Entretanto, há outras alternativas a serem exploradas com esse dinheiro extra. Aplicações mais conservadoras do próprio banco podem oferecer rendimentos maiores do que as taxas do financiamento. Como nessa situação: os juros da negociação do veículo estão em 0,4% ao mês. Já um fundo oferecido pelo banco rende 0,7% mensalmente.

Dessa maneira, é melhor optar pela última transação que lhe dará 0,3 pontos percentuais de lucro. Se a taxa de investimento for melhor do que a de financiamento, não tenha dúvidas e escolha ela.

O mesmo vale para outros tipos de negócios que possam oferecer riscos maiores, como investir em uma pequena empresa ou em ativos de companhias na bolsa de valores. No entanto, são operações mais arriscadas que não terão retorno garantido, ou seja, um risco para o seu equilíbrio financeiro.

10 dicas para economizar em 2018

Por falar em equilíbrio financeiro, existem outras formas de economizar para você não só antecipar as parcelas de financiamento do carro, como também tirar do papel alguns itens da sua lista de desejos para 2018.

Esqueça tudo o que você fez no ano passado. O recomeço é imprescindível e o foco é crucial para você conquistar o sucesso. Adote essas 10 dicas para economizar em 2018 e tenha uma vida mais tranquila e confortável, como você merece!

1. Anote tudo

Sabe aquela sensação que o salário acabou e nós realmente não sabemos como? É natural perdemos o controle do dinheiro, principalmente quando não anotamos as entradas e saídas dele. Em vista disso, guarde todos os comprovantes de transações nos cartões de crédito e débito, e também as informações das compras à vista.

Geralmente, o que dá mais impacto no seu orçamento são as pequenas contas que formam um montante inacreditável e são justamente delas que esquecemos. Logo, é imprescindível relacionar a despesa do cinema, do estacionamento e tudo o que mexeu no seu bolso.

2. Conte com a tecnologia

Quando falamos em anotar, não quer dizer que você vai ter que andar com uma caderneta para cima e para baixo. Esse trabalho pode ser facilitado por meio de um aplicativo instalado no seu smartphone ou uma simples planilha de computador.

O importante é registrar e fazer uso de ferramentas tecnológicas que poderão descomplicar — e muito! — a sua contabilidade: é possível fazer cálculos, estimativas, somar, diminuir, verificar saldo, integrar com a sua conta bancária e receber alertas que você está no vermelho. Tudo isso com rapidez e funcionalidade.

3. Liste suas despesas

Parece difícil de acontecer, mas é bem comum não termos domínio completo sobre todas as nossas despesas mensais. Isso acontece principalmente com as pequenas, embora comuns no dia a dia. Certamente, você não parou para pensar quanto lhe custa pequenos hábitos, como tomar um cafezinho na esquina ou o suco na academia todos os dias.

Por isso, liste as suas despesas da forma mais sincera e íntegra que poderia fazer. Depois, selecione-as por áreas como: educação, lazer, transporte, comida, saúde, casa, compras e imprevistos. Você terá uma noção exata do que consome mais a sua renda.

4. Analise o que pesa mais

Depois de listar as suas despesas, revise o que consome mais sua renda. Se é o transporte, pesquise formas alternativas de compartilhamento. Se é com a comida, veja como se alimentar bem de maneira mais barata. Frequente feiras-livres e experimente consumir menos industrializados, que custam mais caro e são menos saudáveis.

Há opções para substituir quase todas as práticas consumistas por hábitos mais valiosos e vantajosos. Isso não quer dizer que agora você vai mudar todo o seu padrão de vida, mas aos poucos, não custa nada vivenciar outras experiências e quem sabe mudar os seus conceitos e, de bônus, economizar uma grana.

4. Tenha um dia de gala

Sabe aquele restaurante descolado que acabou de inaugurar? Deixe para conhecê-lo no dia de gala. Esse dia, como o próprio nome já diz, serve para você esbanjar um pouco e incluir atividades que vão pesar no seu orçamento, mas que lhe dão prazer.

Nessa ocasião, aproveite para incluir lugares ou adquirir produtos e serviços que custam mais, como um salão de beleza, uma balada ou um dia na piscina do clube. É importante que ele beneficie você diretamente para lhe recompensar pela economia feita durante todo o restante do mês.

5. Pague em dia

Pagar suas contas em dia previne a ocorrência de multas por atraso e juros de mora. Além disso, muitos boletos vencidos não são aceitos por representantes bancários, o que resulta em você ter que ir pagar na boca dos caixas de atendimento. Mais filas e tempo perdido.

Já se você quita suas contas on-line é mais um motivo para você respeitar as datas de vencimento, pois quando elas passam, dificilmente são permitidos pagamentos virtuais.

6. Conte com benefícios

Seu cartão de crédito lhe dá benefícios? Se não, mude. Existem no mercado diversas empresas que oferecem vantagens para os seus clientes de cartões. E algumas delas são realmente tentadoras: troca de pontos por milhas aéreas, clubes de descontos, hospedagens em redes de hotéis, combustível, seguros, trocas de moeda sem taxas etc.

Se o uso do cartão em determinadas situações for indispensável, faça o seu uso inteligente e procure saber quais são as vantagens que mais valem a pena de acordo com os seus interesses.

7. Estabeleça uma quantia mensal para poupar

Entre as dicas para economizar, não pode faltar aquela na qual você determina um valor fixo para poupar. Ter essa base numérica vai lhe ajudar a reservar sagradamente ao menos essa quantia determinada.

Na hora de calcular quanto será esse percentual, lembre-se de ser bem real em relação aos seus débitos para não passar aperto, mas também não abra mão de um esforço mensal. Se o ideal seria economizar 600 reais por mês, mas você tem medo de faltar dinheiro para imprevistos, poupe 400. É melhor do que nada.

8. Envolva a família

A família tem que ter participação direta nesse esquema de redução de custos. E a melhor forma de isso acontecer é envolver todas as pessoas em busca do mesmo objetivo. Isso depende de muita conversa e negociação para evitar problemas.

Embora, inicialmente, algumas regalias possam ser cortadas, tudo pode tornar-se uma grande lição de economia para seus filhos. Vai depender da forma como for passado esse grande desafio. Aproveite para colocar em prática a educação financeira da garotada, que deve mesmo começar de casa.

9. Planeje suas compras

Quando você planeja suas compras fica mais difícil sair da linha. O consumismo por impulso é um perigo claro para o equilíbrio das suas finanças, por isso deve ser evitado a qualquer custo. Alguns truques básicos auxiliam: deixe seus cartões de crédito em casa, evite entrar em lojas em promoção e troque as vitrines dos shoppings pelos parques.

Quer mais? Faça suas compras de mercado em um lugar que ofereça artigos volumosos e maiores. Por exemplo, se você precisa de 4 kg de arroz por mês, compre pacotes de 5 kg ao invés de quatro de um. O mesmo para molhos, outros cereais e os demais itens da cesta básica.

10. Descubra outros prazeres

Se tudo o que lhe faz bem envolve uma fatura no final, não tenha dúvidas que é melhor dar outro significado à sua vida. Troque a academia pelas atividades ao ar-livre com seus filhos, os fast foods por uma deliciosa pizza caseira com a turma toda colocando a mão na massa e o estacionamento caro por algumas voltas de bicicleta.

Toda mudança exige sacrifícios, mas há grandes recompensas por trás dos seus esforços. Busque prazeres mais baratos e descubra um novo jeito de encarar sua rotina.

Essas são as 10 dicas para economizar em 2018 que você precisa levar a sério em 2018. Este ano é aquele que vai fazer sua vida mudar e seu dinheiro render muito mais. Lance-se ao desafio e experimente poupar uma grana para realizar aquele projeto que existe há anos nos seus planos. Você vai perceber que é mais fácil do que parece. Assine a nossa newsletter e descubra como economizar ainda mais!

Acesse nossas redes sociais para saber de mais dicas e assuntos relacionados: Facebook e Instagram